Campanhas/Solidariedade

A Reivindicações dos presos políticos palestinos em cárceres israelenses

1-    Fim da política de detenção administrativa.
2-    Fim da política de isolamento.
3-    Tratamento como "prisioneiros de guerra e militantes pela liberdade", de acordo com as Convenções de Genebra III e IV, e não como criminosos.
4-    Permissão de visita de familiares a todos os presos, com o fim do impedimento de obtenção de licenças de passagem para o território ocupado em 1948, mediante alegação de “segurança”.
5-    Cumprimento das trocas de prisioneiros na integralidade, de forma que os presos não sejam novamente encarcerados sob a justificativa da ordem militar 1651, emitida em 2009, que possibilita a revogação da chamada liberdade antecipada.
6-    Fim do julgamento de presos palestinos em tribunais militares, cujo formato e decisões violam as normas internacionais de direitos humanos.
7-    Liberdade imediata a todos os presos e presas.


As reivindicações dos prisioneiros políticos palestinos em cárceres israelenses durante greve de fome em 2011

1) Fim da política de isolamento imposta contra 47 presos.

2) Fim das revistas humilhantes.

3) Permissão de visita familiar aos presos da Faixa da Gaza, cuja proibição está em vigor desde 2007.

4) Permissão de visita familiar a todos os presos.

5) Permissão aos filhos com 18 anos ou mais a visitação normal.

6) Quando a esposa e o marido estiverem presos, que tenham direito a se visitarem.

7) Permissão de ligações telefônicas entre os presos e seus familiares.

8) Religação das estações de TV confiscadas.

9) Melhoria das condições de visita: retirada das divisórias de vidro, permissão de visita das crianças e fim das revistas humilhantes.

10) Liberdade às mulheres, crianças e presos portadores de doenças terminais e psicológicas.

11) Garantia de atendimento médico, inclusive cirurgias, instrumentos para diagnóstico e  permissão de entrada de equipe médica escolhida pelos presos.

12) Fim das políticas de multas e punição coletiva.

13) Acesso a livros e à educação, inclusive à realização de vestibular e ingresso na universidade.

14) Fim da punição ao preso, com a negação de direito de visita familiar.

15) Não mais algemar o preso diante dos familiares e do advogado.

16) Fim da invasão e destruição dos quartos.

17) Melhoria do transporte dos presos, especialmente doentes.

18) Liberdade aos presos sob detenção administrativa.

19) Permitir a visita das crianças e contato afetivo com o familiar preso.

20) Melhoria da alimentação, em qualidade e quantidade.

21) Alojar os casais em prisão próxima da moradia dos parentes.

2 comentários:

  1. PROPONHO UMA ANISTIA GERAL ,AMPLA IRRESTRITA COMO O FEZ O PRESIDENTE JOÃO BATISTA FIGUEIREDO

    ResponderExcluir